RSS

Arquivo da categoria: pessoal

Dois anos de professor efetivo do IFRN

Hoje, 01/03/2014, completam exatos dois anos que assumi o cargo de Professor Efetivo do IFRN. Mas minha história com essa instituição começou bem antes. Podendo ser cronologicamente resumida da seguinte forma:

  • 1998-2001 – Aluno do curso Técnico em Informática Integrado com o Ensino Médio
  • 2002-2006 – Aluno do curso Tecnologia em Desenvolvimento de Software
  • 2011-2012 – Professor Substituto no Campus Parnamirim
  • 2012-atual – Professor Efetivo no Campus Ipanguaçu

Vez ou outra me perguntam o porquê de que virei professor. Não existe um motivo único (o financeiro é um deles, já que meu cargo anterior era o de nível médio, e este de nível superior), mas talvez o que mais me atraiu foi a possibilidade de influenciar positivamente a vida de pessoas através da educação.

Anos antes de vislumbrar essa possibilidade, eu me envolvi ativamente com o Movimento (Social) de Software Livre, quando era aluno do curso tecnólogo. Organizei eventos, participei como expectador e palestrantes de outros. Sempre na intenção de atrair mais usuários e colaboradores.

Nessa época, ficou claro para mim que software livre é a melhor solução no que diz respeito ao ensino e aprendizagem. No entanto, havia, e ainda há, uma certa resistência pela adoção de uma política pró-software livre nas instituições de ensino. Foi aí que pensei, juntamente com outros vários colegas do movimento:

Nós precisamos ‘tomar’ o lugar dos atuais professores. Temos de mudar o sistema por dentro.

Esse é um dos aspectos pontuais pelo qual tenho trabalhado para influenciar meus alunos, mas não se restrigindo a ele. Fico extremamente feliz  quando um aluno me diz que fez isso ou aquilo por minha influência, ou quando vem me pedir opinião sobre algo, inclusive sobre vida pessoal e profissional.

O exemplo recente mais marcante que tenho/lembro é de um aluno do Campus Natal Central do IFRN que conversei sobre a carreira/vida de professor e dias depois ele veio me agradecer por essa conversa ter sido motivação para o mesmo fazer o atual concurso para professor do Instituto, inclusive ficando em 1º lugar na prova escrita. Certamente será um novo colega de trabalho nos próximos meses.

Ainda tenho muito o que fazer e aprender sobre o ofício da docência, mas avalio que tenho feito um bom trabalho nesse período, em particular com ensino e extensão. Que muitos anos venham pela frente.

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 01/03/2014 em pessoal, Sem categoria

 

Tags: , ,

Investigação e Extensão de uma Ferramenta de Auxílio ao Ensino de Algoritmos em Ambientes GNU/Linux – G-Portugol

O título deste foi o título do meu trabalho de conclusão de curso para obtenção do diploma de bacharel em Ciência da Computação pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

A investigação se deu na medida em que pesquisei algumas ferramentas que pudessem ser utilizadas em disciplinas de algoritmos/introdução a programação em sistemas GNU/Linux. Em particular, refiro-me a ferramentas que pudessem compilar/executar programas escritos em portugol. O resultado dessa pesquisa pode ser resumida na tabela abaixo:

Tabela 1: Comparação entre ferramentas de auxílio ao ensino de algoritmos
Quila AlgoMais G-Portugol
Linguagem em que foi desenvolvido C++ Java C++
Licença GPL ??? GPL
Compilador x x
Interpretador x x
Editor x x
Nativo x x
Documentação Razoável Excelente
Ativo x
Usabilidade Boa Razoável Boa/Excelente
Instalação Difícil Muito difícil Difícil

Apresentando um pouco mais sobre cada um destas ferramentas:

  • Quila: a característica mais vantajosa dessa ferramenta é a sintaxe semelhante ao Pascal, mas com as palavras-chaves em português. Porém, esse interpretador só está disponível em formato de código-fonte, sendo necessário sua compilação para uso, que pode não ser trivial para quem está começando no mundo da computação. Atualmente o projeto está abandonado pelo seu autor original.
  • AlgoMais: é um interpretador de algoritmos que embora feita na linguagem Java, conhecida pela sua portabilidade, para ser executado em ambiente GNU/Linux é necessário uma série de ajustes manuais, o que o deixa inviável para iniciantes.
  • G-Portugol: é um projeto que envolve a definição de uma linguagem, também chamada de G-Portugol. Sua principal ferramenta é o GPT, que faz a compilação para linguagem de máquina, tradução para C e Assembly, e interpretação dos algoritmos. A outra ferramenta é o GPTEditor, editor para a linguagem com recursos de destaque de sintaxe e depuração.

Disso tudo, podemos deduzir que o projeto mais completo e bem acabado é o G-Portugol, incluindo a documentação. No entanto, a linguagem G-Portugol não é totalmente compatível com o Português Estruturado comumente apresentado nos cursos de algoritmos, não podendo ser completamente utilizado em um curso que envolvesse programação. Por exemplo, não havia o instrução “repita… até…” nem passagem de parâmetros por referência. E foi aí que entrou a “extensão”. Analisei o código fonte do GPT e fiz a inclusão do “repita… até…” e a correção de alguns bugs, além da documentação de todo esse processo, facilitando para que outros deem continuidade.

Quando propuz este trabalho, o professor da disciplina de orientação do TCC disse que compiladores são normalmente construídos durante uma disciplina. E, de fato, do ponto de vista técnico da implementação, do produto final produzido pelo meu trabalho, não há nada de grandioso ou inovador. Mas não era isso que eu tinha em mente.

Uma auto-restrição que apliquei foi a de que todo o código produzido deveria ser retornado para o projeto, já que este era um software livre. E realmente, este foi o maior trunfo deste trabalho, bastante elogiado pela banca, por sinal. Aquele não seria mais um trabalho encadernado e esquecido na biblioteca, de fato, trabalhos futuros partirão de onde parei. A partir do código que produzi. Este é o modelo que deveria ser utilizado pela instituições de ensino, principalmente pelas públicas.

Para quem tiver interesse, segue abaixo o trabalho escrito, devidamente licenciado em Creative Commons.

Até o próximo.

 
1 comentário

Publicado por em 14/02/2011 em pessoal

 

Meme 2009 – Parte II

Oi, tem alguém aí?

No início do ano escrevi um artigo com 9 metas para 2009. Vamos agora ver o que aconteceu com cada um deles:

  1. Tirar a carteira de motorista #epicfail
    Isso deveria ter acontecido naturalmente, mas após ter feito os exames médicos/psicológicos fui adiando a entrada na autoescola, adiando, adiando e acabei entrando somete em novembro. Fiquei com o prazo apertadíssimo para concluir, mas deu tempo. Fui fazer minha prova prática dia 18, e tinha até o dia 24. Só que aconteceu uma coisa que eu só acredito porque foi comigo: eu simplesmente esqueci de fazer o ziguezague nos cones. E como o meu processo venceu no último dia 24, terei que abrir um novo e repetir os exames, ainda bem que não precisa da autoescola.
  2. Concluir o bacharelado #OK
    Esta era a prioridade para este ano, o que acabou meio que atrapalhando os outros. Mas finalmente consegui concluir o bacharelado em Ciência da Computação na UERN.
  3. Eu, esposa e a banca

    Rosiery (orientado do TCC), eu, esposa, Cláudia e Aquiles (banca de defesa do TCC)

  4. Manter este blogue #fail
    A meta era dois post por mês até a conclusão do item 2, e um por semana depois disso. O número de posts fala por si só. Mas eu tenho alguns rascunhos iniciados, vou tentar despachar alguns nesse mês de janeiro.
  5. Passar no concurso para analista do IFRN #epicfail
    Esse eu simplesmente não fiz a inscrição. No período da inscrição eu estava no Rio de Janeiro participando de um treinamento de um software do MEC, e aí é aquela coisa, quando eu lembrava não tava com tempo, quando tava com tempo deixava para “mais tarde” e acabou que não fiz a inscrição. Uma típico caso de epic fail.
    Por outro lado, passei na seleção para professor substituto da UERN. Toda terça-feira acordo às 4h30min da madrugada para ir dar aula de Compiladores em Santa Cruz e na sexta-feira nesse mesmo horário para ir à Nova Cruz com aulas de Sistemas de Informação. Dureza.
  6. Ir para o Fisl 10 #fail
    Nem consegui as passagens pelo IFRN, e nem a ASL.org quiz pagar a minha passagem como fez no ano passado por participar da organização do evento, traduzindo o site e outras coisa que podem ser feitas a distância.
  7. Ter uma vida mais saudável #fail
    Esse é o mais difícil de mensurar. Mas posso dizer que continuo dormindo ruim, comendo ruim e não voltei à prática de exercícios físicos. A nova vida de docente tem muito a ver com isso, principalmente com o sono.
  8. Perder menos tempo com coisas fúteis #bitfail
    A situação melhorou bastante, mas considero ainda que contínuo perdendo muito tempo com coisas fúteis. Se de um lado desinstalei o Twitterfox (Echofon é um nome feio), estou viciado no Tweetree.com. E agora tenho televisão em casa. Para 2010 eu preciso melhorar o par foco/concentração. Ultimamente tenho lido sobre a técnica do pomodoro, mas ainda não sei o que aplicar de fato.
  9. Ler mais #fail
    Ano passado li muito pouco. E esse também.  Depois de Helena no início do ano, não consegui terminar nem um livro que tem aqui de míseras 130 páginas, sem contar que é um livro de bolso, ou seja, com dimensões pequenas. E também não perdi nem um livro.
  10. Cumprir todos os itens acima #fail
    Já deu para perceber que esta meta também não foi alcançada, né?

Como escrevi devido um convite generalizado do Rodrigo Flores, convido-o para fazer o mesmo agora.

E Feliz Ano Novo cheio de paz e todas aquelas coisas que desejamos nesse período. Nos vemos em dois mil e dez.

 
1 comentário

Publicado por em 31/12/2009 em pessoal

 

Tags:

Meme 2009

Se os últimos dias do ano são para fazermos retrospectivas, os primeiros são para renovarmos as velhas promessas que nunca serão cumpridas. #prontofalei

O @rodrigoflores tuitou um link que continha suas metas para este ano. Na verdade, era um meme para definição de 9 metas para 2009 e ele fez um convite para todo mundo. Então aqui estão as minhas (alguns itens não são exatamente metas em sua definição, mas vou deixar como tá):

  1. Tirar a carteira de motorista
    Essa talvez seja a mais realizável. Dei a entrada no Detran no fim do ano. Início de fevereiro faço os exames médicos e depois autoescola (agora é sem hífen). E antes que alguém faça aquela piadinha infame, eu mesmo faço. E finalmente, as ruas de Natal estarão mais perigosas. :p
  2. Concluir o bacharelado
    Esta é a prioridade para esta ano. Entrei no curso de Ciência da Computação da UERN na primeira turma, em 2002.2. E já passou da hora de sair. Dos que entraram comigo e não desistiram pelo meio do caminho, eu sou o último.
  3. Manter este blogue
    Que tal dois post por mês, por enquanto, e um por semana depois que cumprir o item 2?
  4. Passar no concurso para analista do Cefet-RN Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte
    Este ano o, agora, IFRN abrirá vagas para suas novas unidades. Pretendo fazer concurso para Analista de TI.
  5. Ir para o Fisl 10
    Este ano o Fisl será especial. Queremos 10 mil participantes na 10º edição do Fórum Internacional Software Livre. A organização está se empanhando fortemente para trazer Linus Torvalds. E o andamento da programação do pode ser acompanhada no Blog do Temário.
  6. Ter uma vida mais saudável
    Esse deve ser o mais difícil. Posso fazer isso dormindo melhor, comendo melhor e voltando a prática de exercício físicos. Mas pelo menos um desses 3 itens eu consigo.
  7. Perder menos tempo com coisas fúteis
    Perco muito tempo com coisas sem importância. Mas para mudar isso já tomei algumas medidas: desativei o recebimento de mensagens de diversas listas de discussão que participo, cancelei vários RSS, e desinstalei o Twitterfox (pelo menos no trabalho). Não ter televisão em casa também ajudará bastante.
  8. Ler mais
    Ano passado li muito pouco. Digamos que só a obrigação. Este ano quero ler mais. Tanto livros técnicos, quanto não-técnicos. E acho que talvez até perca um livro. Já tem um ali na fila que certamente terá esse fim caminho: Helena, de Machado de Assis.
  9. Cumprir todos os itens acima 😉
    É, eu tenho um terrível costume de não terminar o que começo. Espero começar tudo que planejar e terminar tudo que começar.

É isso. Outras coisas aparecerão no decorrer do ano, e depois que cumprir a meta 2, terei mais tempo para as demais e para outras que surgirem. Durante o ano vou atualizando o andamento de cada uma dessas metas e no fim do ano a velha retrospectiva.

E quando a você? Quais são suas metas para este ano? Coloquem o link aí nos comentários para gente ver.

 
4 Comentários

Publicado por em 10/01/2009 em pessoal

 

Olá Blogosfera

Olá internauta blogueiro (descobri a pouco que quem lê também é blogueiro),

ter um blogue era uma coisa que eu vinha adiando a bastante tempo. Confesso que sentia uma espécie de obrigação moral de retornar para a Internet o que ela tem me dado. Falar que recorro a blogues diversos para tirar dúvidas é desnecessário, mas em muitos casos era necessário a adaptação de diversos artigos para resolver o meu problema, o que fazia com que eu adquirisse algum conhecimento. E sem contar o conhecimento gerado através de estudos. Mas esse conhecimento estava ficando retido comigo. E isso não condiz com minhas idéias de liberdade do conhecimento. Como já pensava Santos Dumont, o conhecimento tem de ser livre.

Nada melhor do que aproveitar o início do ano para concretizar isso. Não é?

Além deste blogue ser o que a frase no topo diz que é. Ele também será mais um blogue que abordará software livre. Em especial distribuições GNU/Linux (certo, Stallman?), e mais especial ainda sobre o Ubuntu e softwares que rodam nele. E softwares livre que roda no Windows. Por que não? Certamente, a maioria dos artigos focarão o ambiente de trabalho dos usuários alvos do Ubuntu, os seres humanos. Não vou tão longe quanto Carlos Morimoto, mas eu acredito que o GNU/Linux está pronto para o desktop a algum tempo, principalmente na encarnação do Ubuntu. Os usuários é que não estão prontos para qualquer sistema que seja diferente do Windows. Pretendo dar minha contribuição com tutoriais recheados de capturas de telas (perceberam que estou evitando palavras em inglês?).

Também falarei de coisas para quem precisa de algum conhecimento a mais, editar alguns arquivos de configurações e fazer traquinagens diversas.

Como sou programador, linguagens de programação e afins não poderiam ficar de fora. Não iria citar nenhuma em especial porque espero falar de várias, mas terei coisas relacionadas a Python, Java, C/C++, Assembly etc. Sim, Assembly. Estou estudando Assembly por dois motivos: 1) não saber Assembly era (ainda é, na verdade) uma das minhas frustrações computacionais; 2) vou/estou precisar disso para o meu trabalho de conclusão de curso de Ciência da Computação da UERN.

Álias, o meu TCC é também uma contribuição para o uso do GNU/Linux e softwares livres em geral. Com certeza, muito que falarei aqui terá origem nesse TCC. Farei uma extensão na linguagem G-Portugol de forma que seja possível um curso completo de algoritmos em um sistema GNU com núcleo Linux.

Além disso, como o blogue é meu, darei meus pitados sobre a vida, o universo e tudo mais sem pedir licença pra ninguém. :p

Pela Internet a fora eu também posso ser encontrado nos seguintes serviços (sem nenhuma ordem em especial):

lastfmorkut_logotwitterdeliciousflickr

Certamente que não lembrei de outros, mas é só procurar por ‘adorilson’. Se achar, serei eu. Com um nome desses, para que se preocupar com sobrenomes ou gastar criatividade (que já é pouca) com apelidos? 😀

Logo este links estarão (eu acho) em um área ali na barra lateral. Como todo início de blogue que se preze, até o tema é o padrão da ferramenta, no caso o WordPress.

Bom, por hoje é só. Gastei uma tarde inteira praticamente um tarde com noite escrevendo isso (obviamente intercalado com outras coisas). Espero ser mais objetivo, produtivo e rápido nas próximas.

 
5 Comentários

Publicado por em 03/01/2009 em pessoal